Mensagem de Natal do Abade Geral – 2016

 

dsc_0038

CARTA DE NATAL – 2 0 1 6

SAUDAÇÕES

A todos os Prelados, Confrades, Irmãs, Colaboradores e todos os Terciários e Associados aliados a nossas casas. Com estas poucas palavras eu desejo enviar a todos os confrades e irmãs e a todos os que vivem conosco e com quem nós temos contacto através de nosso trabalho e missão.

CAPÍTULO GERAL DE 2018

O Secretariado do Capítulo Geral de 2018, que está sob a direção do Abade Denis Hendrickx de Berne/Heeswijk, começou seu trabalho, e as preparações para este mais importante evento de nossa Ordem estão bem encaminhados. O Capítulo acontecerá de 22 de julho a 4 de agosto de 2018 em Rolduc/Kerkrade/ Limburg Sul (Holanda) e focalizará sobre dois muito importantes temas: a eleição do Abade Geral, e a apresentação de nossas novas Constituições. As convocações começarão em julho de 2017. Cada casa será representada pelo Prelado e mais outro membro delegado pela Canonia. As Canonias com casas dependentes que tenham ao menos oito membros (professos solenes) e a sua própria identidade[1] devem notificar o Definitório o mais rápido possível, de modo a nomear também um deputado. Uma quasi-canonia tem direito de enviar o superior e um deputado.[2] O Secretariado pede que os nomes de todos os participantes para o Capítulo Geral sejam apresentados até o final de 2017 (31 de dezembro). Cada casa e cada membro têm o direito de apresentar contribuições, sugestões e tópicos, os quais devem ser enviados ao Definitório (DefOrd I / 18) até março de 2018 no mais tardar. O Definitório decidirá qual material possa ser incluído. Até o final de 2017 (31 de dezembro) esperamos, em Inglês, todos os relatórios das Comissões da Ordem, como também dos Encontros Internacionais da Ordem; estes serão, então, enviados às casas como primeiro pacote de “MATERIA CG 2018”, tanto como um livro-texto como na versão por e-mail. O esboço para as Constituições revisadas também estará disponibilizado nesse modo, a partir da primavera (northern) de 2018. O Capítulo Geral tem este lema: “NATIVITAS CHRISTI – NATIVITAS ORDINIS – até os 900 anos da Presença e Serviço Canonical da Ordem na Igreja”.

NATIVITAS ORDINIS

895 anos atrás, no Dia de Natal de 1121, São Norberto e seus companheiros fizeram seus votos no altar de Prémontré. Esse era o nascimento de nossa Ordem. A cada ano, no Natal, nós comemoramos a origem de nossa Ordem. E em poucos anos nós celebraremos o grande aniversário religioso dos 900 anos de história de Prémontré. O nascimento do Senhor coincide com o nascimento de nossa Ordem. Isto significa para nós uma grande proximidade e intimidade com a Encarnação de Cristo. A Encarnação, o tornar-se carne e tornar-se humano é a missão e mensagem fundamental para nós como Premonstratenses. Isso se move em um duplo sentido: antes de tudo, que nos esforcemos por nos tornar seres humanos e nos tornar humanos como pessoas religiosas, como sacerdotes, como servos do Senhor, mas que nos esforcemos também por fazer todo o possível para ajudar os outros a se tornarem seres humanos, para promover e ajudar o seu crescimento e desenvolvimento como seres humanos, ajudando-os a fazer tudo o que possam para combater as injustiças e as estruturas de injustiça pelas quais as pessoas sejam oprimidas, incapacitadas ou restringidas em seu desenvolvimento.

Após minha segunda viagem à Índia deste ano, eu tive uma melhor compreensão do conceito do cuidado pastoral da Índia: onde há uma igreja, há também uma escola onde os confrades vivem juntos, e há também projetos sociais para as pessoas do bairro; há provisão tanto para o cuidado pastoral quanto o cuidado da saúde, os quais são frequentemente oferecidos em colaboração com comunidades de irmãs religiosas. Este cuidado é visto e entendido como uma unidade. Assim como em todas as igrejas existem lugares, muitas vezes festivamente decorados, onde o Livro Sagrado, “a Palavra Viva de Deus” e o Sacramento do Altar, o “Pão Vivo”, são conservados, assim existem lugares para a instrução educacional e a formação que se complementam um ao outro; escolas e outros lugares que oferecem assistências concretas aos pobres e necessitados, tais como, por exemplo, centros sociais. Encarnação é uma tarefa compreensiva, isso inclui a formação do espírito, como também do coração, o que significa esforço físico e aquisição de competências sociais; o que supõe também serviços para pessoas que estão enfermas ou deficientes, idosas ou que tenham necessidades especiais. Como Premonstratenses nós não estamos restritos a um trabalho unilateral, mas podemos descrever isso nas tão abrangentes palavras da primeira encíclica do Papa João Paulo II: “O caminho da Igreja é o homem” ou como isso foi formulado no Século XIX em um epítome da Ordem: “ad omne opus bonum parati[3], “preparados para toda boa obra”, que ajude às pessoas – tanto nós mesmos como os outros – a serem humanos e tornarem-se humanos.

Nossas comunidades podem, e devem ser lugares onde as pessoas possam se desenvolver e amadurecer, onde os confrades sejam reciprocamente encorajados e interpelados a esforçarem-se juntos por completar-se e por se tornar santos ao longo da vida. É doloroso quando os confrades deixam nossas comunidades por não verem nenhuma perspectiva de amadurecimento e desenvolvimento, por experimentar muito pouca atenção e ajuda, compreensão e suporte. Neste sentido, nós não somos “monachi” (monges, de “μὁνος” – único), não somos individualistas ou combatentes individuais, mas, no sentido Agostiniano, nós somos todos juntos “Μὁνος”, uma unidade, “um” como comunidade de pessoas lutando pela perfeição em Deus (“in Deum”). Quando Agostinho escreve que nós devemos seguir o ideal da Igreja Primitiva, sendo “um só coração e uma só alma” em direção a Deus, precisamos entender isso no pano de fundo natalino e encarnacional. Se há alguma lacuna de humanidade, nossas comunidades se tornam contraproducentes, onde não há ‘humanitas’, então nosso Cristianismo, nossa ‘christianitas’, não serão convincentes. A este ponto, depois do especial “Ano da Misericórdia”, deveríamos de novo falar de misericórdia e compaixão.

Ainda estamos à procura de um LOGOTIPO e um lema interpelativo para nosso próprio ano jubilar. Cada confrade pode participar e enviar propostas ao Presidente do Comitê Preparatório (Abade Geral). Será dado um prêmio à melhor ideia.

Com relação às exposições planejadas para as três casas de Strahov, Magdeburgo e Park, precisaremos de assistência de nossas Canonias, em matéria de tesouros de arte, fotos e testemunhos de nossa história religiosa. Cada casa já deveria começar a considerar com que ela gostaria de contribuir ao Ano Jubilar, em forma de exposição e obras de arte. O mais que contribuímos nós mesmos, mais facilmente talvez seria, se pudermos financiar tal exposição

CASA GENERALÍCIA

Se você visitou recentemente o Generalato e entrou na Capela, você deve ter experimentado um espaço totalmente novo e você deve ter ficado impressionado pela expansão, brilho, abertura e luz desta Casa de Deus. Como resultado de uma minuciosa restauração, não somente os olhos se voltam para o brilhante piso de mármore, mas a visão se move sem obstáculos para o altar sobre dois planos, debaixo do qual está o relicário contendo as relíquias de Beato Hugo de Fosses. O altar é de mármore travertino; a frente é adornada com o lema acima mencionado “ad omne bonum opus parati”. O retábulo original, retratando São Norberto e Beato Hugo diante da Cruz, ainda precisa ser substituído. Muitas casas fizeram contribuições de maneira que esta tão necessária e longa restauração pudesse ser concluída. Nós expressamos nossos profundos agradecimentos a todos os doadores. Novo aquecimento, ventilação, e um completamente novo sistema de iluminação foram instalados ao mesmo tempo. O órgão foi colocado no meio do coro, e as estalas do coro foram recuadas para trás, junto às paredes. Um espaço largo e luminoso só pode ajudar a expandir nossas mentes e corações guiando-nos em direção Àquele que nos chamou “a estar em Sua presença e servi-Lo”.[4] Podemos supor que Beato Hugo tenha feito sua profissão juntamente com Norberto e outros companheiros, no Natal. Portanto, o próprio Beato Hugo, que encontrou um digno lugar na capela de nosso Generalato, pode levar-nos para mais perto do Mistério do Natal. Para Hugo, a resposta da Encarnação do Senhor foi sua devoção e dedicação de toda sua vida a Prémontré. Isto pode também ajudar a aprofundar nossa própria resposta e fortalecer a vida que nós dedicamos a Deus e à nossa comunidade particular.

NATAL DE 2016

O Papa Francisco tem repetidamente pedido aos religiosos de sair em direção ao povo, de estar em meio a ele, por ele, aproximando-o de Cristo, à Face do Deus tornado homem, que Se aproxima de nós em amor e misericórdia, e nos quer “para ter vida e tê-la em abundância” (Jo 10, 10). No Natal nós celebramos a “explosão” de Deus para o mundo, a descida de Deus em direção aos seres humanos, esta KENOSIS de Deus, que não se apegou ao ser “como Deus, mas esvaziou-se a Si mesmo e Se tornou como um escravo e igual ao homem” (Fil 2, 6-7). O Deus infinitamente distante vem para muito perto de nós, o Deus que ultrapassa toda nossa concepção, Se nos dá a conhecer. Ele que é Sublime acima de tudo, faz-Se pequeno e Se revela como uma criança humana. O Natal revoluciona nossa imagem de Deus: O Indizível tem um nome, O Inacessível tornou-Se um rosto, o Incompreensível Se tornou uma pessoa, Ele tornou-Se humano como nós. E enquanto nós podemos somente ficar silentes e nada dizer, Ele Se volta para nós e nos fala.

Neste espírito, eu desejo enviar a vocês toda minha mais calorosa saudação de Natal e desejar-lhes uma festividade alegre, abençoada em todas as nossas comunidades: que nós possamos abrir nossos corações ao Presépio, de maneira que, como os pastores e sábios, nós possamos agradecidamente dobrar nossos joelhos e contemplar este mistério do amor de Deus que quis ficar perto de nós; possamos nos mover pela terna afeição de Deus para conosco neste Menino Jesus.

ORAÇÃO

Esta oração originou-se pensando ao Jubileu de 2021, e eu recomendo-a a todos:

Deus nosso Pai,
Em vossa eternal Sabedoria e infinita Misericórdia
chamastes São Norberto a ser cooperador
na reforma da Igreja de seu tempo.

Inspirado pelo exemplo dos primeiros Cristãos,
ele desejou seguir o Senhor nas pegadas dos Apóstolos,
vivendo uma vida em comunidade
e pela pregação e anúncio da Boa Nova.

Em 1121, São Norberto escolheu Prémontré
para ser o primeiro centro de uma renovada vida canonical,
e o hábito branco, como um sinal da Ressurreição.

Agradecidos, nós celebramos este Jubileu dos 900 anos
de nossa presença e de nosso humilde serviço na Igreja.

Com zelo e corações generosos,
construamos centros de Vosso Amor neste mundo.

Que o Amor de Vosso Santo Espírito se derrame em nossas comunidades
de modo que, transbordantes de caridade, possam abraçar todos os homens.

Isto Vos pedimos por Cristo, nosso Senhor.
Amém

+ Thomas Handgrätinger  OPRAEM

          Abade Geral

 

 

[1] See Constitutions Nr. 187,2 “physonomia propria”.

[2] Constitutions Nr. 187,1,d

[3] In : Cour d’Honneur de Marie, 13e année (December 1876) n. 156, p. 293 : «ad omne bonum opus parati».

[4] See Second Eucharistic Prayer (English Missal).

 

 

Escrever comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *